QUIMGAX 2235


Aplicações / BenefíciosA gaxeta Quimgax ®  2235 destaca-se por sua elevada resistência mecânica dispensando assim o uso de anéis anti-extrusão. Sua composição única também proporciona compatibilidade química com a maioria dos fluidos industriais. Possui em sua construção fios de grafite flexível para alta temperatura (HT) reforçados individualmente com malha de Niquel Cromo, o que torna essa gazeta a solução ideal para serviços severos em Refinarias, Petroquímicas, Termoelétricas e outras indústrias nas quais existam altas temperaturas e altas pressões no processo de produção, assegurando selabilidade incomparável.
Por ser auto-lubrificante, possui excelente estabilidade dimensional e flexibilidade, o que a torna uma gaxeta de performance incomparável. Atende, também, aos rigorosos controles de emissões fugitivas “VOC e VHAP” e segurança “Fire Safety”. Possui aprovação em Emissões Fugitivas (Fugitive Emission Test) e em Teste de Incombustibilidade (Fire Test) segundo API 589 Second Edtion Fire Test Report.

 

 

QUIMGAX 2235 - Casa das Gaxetas - Porto Alegre / RS

 

 

QUIMGAX 2235 - Casa das Gaxetas - Porto Alegre / RS

 

 

Aprovações Internacionais para 2235

Testes realizados pelo Yarmouth Research and Technology Maine – USA

 

Fire Test

Objetivo

Qualificar a Gaxeta Quimgax ®  2235 quanto à resistência ao fogo, quando aplicada em válvulas submetidas à chama direta.

 

Procedimento do Teste

API STANDARD 589 – SECOND EDITION

 

Conclusão

A gaxeta completou com sucesso o teste, atendendo com folga os requisitos desta norma.

 

 

QUIMGAX 2235 - Casa das Gaxetas - Porto Alegre / RS

 

 

Teste de Emissões Fugitivas

Objetivo

Qualificar a Gaxeta Quimgax ®  2235 quanto a emissões fugitivas em válvulas, quando submetidas a ciclos térmicos e mecânicos. Método de detecção de vazamento utilizado “EPA method 21”.

 

Parâmetros do Teste

5.000 ciclos mecânicos, com o máximo de 3 ajustes da sobresposta. 10 ciclos térmicos, na temperatura ambiente e até 260 ºC. Medições de vazamento realizadas antes e depois de cada ciclo térmico e a cada 100 ciclos da haste. Pressão de teste: 600 psig (42 Kgf/cm2).

 

Conclusão

A gaxeta completou com sucesso o teste, com 1 único ajuste da sobreposta durante os 5.000 ciclos, mantendo o vazamento máximo abaixo dos 500 PPMv, conforme o gráfico ao lado.